Deixando a preguiça de lado...

Deixando a preguiça de lado, resolvi me animar e recomeçar o blog. Até estranhei quando vi que parei de escrever em 21 de janeiro. Credo, que moleza!

Mas, posso garantir que estou vivendo intensamente. Como nunca. Aproveitando bem cada momento, cada dia, noite, sol, chuva, etc...

Devo voltar para o TMO a qualquer momento. Sou uma das próximas da fila. Para tanto, já fiz vários exames: ecocardiograma, plestimografia (alguém já ouviu falar? rs..) (ah, serve para medir a capacidade respiratória), 18 laboratoriais, consultei com oftalmo, gineco, otorrinolaringo, gastro, mastolosgista, e claro, hematologista. Acho que não esqueci nenhum... Cada exame feito, remete a outro. É sempre assim, quando a gente ¨furunca¨algo, aparece. Mas nada de grave, coisas normais para o quadro.

Escrevi um email para uma de minhas maninhas, onde expus o que ando sentindo. Vou até publicar aqui para que , quem quiser, tenha idéia de como anda a minha cabeça:

Querida maninha:

Já me fizeste chorar quando nasceste, sabias? Quando te vi, nem quero lembrar. Foram lágrimas e lágrimas de felicidade, orgulho, esperança e fé de que serias a nossa nenezinha, prá sempre. E que eras portadora de muita alegria, naquela hora e sempre! ... E, quando eu te carregava em meus braços, ficava tolinha de tanta emoção! Imaginas o que isto representa? Muito amor...

Agora choro porque leio o que dizes. Feliz. Mesmo apreensiva, chateada por ter que voltar para o hospital, colocar aquele super cateter, me submeter novamente a tantas agressões químicas. Mas com muita fé. Na tua santa Terezinha que aprendi a gostar e pedir muito. Em tantos outros santos. Na Nossa Senhora da Medalha Milagrosa, na de Lourdes, na santa Paulina... Na família toda. Em ti, que nunca me deixou sozinha no meio de tanta coisa ruim que passei (e vou continuar passando e enfrentando de cabeça erguida, mesmo que doa)...

Chega de lamúria. Quero mais é que tudo isto se acabe e que eu volte para a vida plena, com todo direito a autonomia, esperança e liberdade que eu conheço bem e que por agora, estão interrompidas. Mas vão voltar.

Tenho passado por muitos exames laboratoriais, clínicos, físicos. Quase todos com muito sucesso e poucas dores. Felizmente. O pouco sucesso de alguns, representa algo banal e fácil de ser corrigido.

A dra L. (ainda acamada), tem me dado muita coragem e motivação para continuar a batalha. E me lembra que eu estou ótima ¨e eu disse, ¨ah, é?¨- e ela disse rapidinho, ¨porque se não tivesse, nem poderia entrar para o transplante¨. E disse até ¨ tu nem tens nada, né florzinha?)¨, quando respondi correndo: ¨ah, que bom, vou esquecer tudo o que tenho que fazer naquele TMO, estou livreeeeeeeeeeeee¨...rs... ¨Tu sabes o que estou dizendo , né florzinha?¨. Fiquei quietinha, juro que não sei...rs.. Só sei que ela disse que eu não tenho nada. Então não tenho...rs..

Tenho muitas saudades de vcs todos. Da A. Do P, do B, de ti. Vontade grande de beijar aquela guriazinha que adoro, aquele gostosinho que parece um homão quando diz algo... Lindos. Fazem falta demais agora, neste momento que os dias vão ficando curtos e cada vez mais a ansiedade vai aumentando. Mas não me preocupo, sei que tudo passa e tudo acabará bem.

Beijos querida mana. Tenho que sair. Tão me chamando..rs..

Beijos em todos que amo tantos...

Leticia

Vou para a praia hoje, novamente. Tenho tomado banhos de mar quase todos os fins-de-semana, quando me mudo para os Ingleses, praia linda aqui de Florianópolis. Eu e o namorido, Jorge. Nunca imaginei tanto companheirismo, disposição, amor e afeto, numa pessoa. Ele tem me dado provas do seu grande carinho por mim, em todos os atos. Todos os dias. Fáceis ou difíceis. Temos ¨marejado¨ os olhos em muitas situações, principalmente quando lembro que tenho que voltar para o hospital.

Não tenho
nenhum medo de que não va dá certo. Tenho medo do hospital. Das dores que sentirei. Dos procedimentos invasivos e doloridos. Da reclusão. De ver a dor nos meus colegas de hospital e nos olhos dos anjos que nos cuidam. Mas estou preparada para isto tudo, e assim, imagino que não sofra tanto...

Rezem por mim! As orações de todos me deixam fortalecida. Assim posso fortalecer os colegas que precisarem de mim... Posso ficar cada vez mais inteira e feliz, porque este é o objetivo final.

Tem muita gente sofrendo: Dalva, Cléia, Rosane, Onélia, Regina, Valda, Amanda (pequeninha), Ronaldo, filho do Emerson, Cleusa, Rosângela, Márcia, Saul, Sidnei, Luiz, Virgínia, e tantos outros que encontrei pelo caminho. É o nosso momento de dor. Mas tudo passa...

Obrigada por tudo, especialmente por lembrarem de mim pois preciso ter mais fé e mais coragem...

Beijos








0 Comments: