30 de setembro - niver do Arthur e quase 6 meses pós-transplante















Queridos amigos:


Bom dia, amigos. Hoje é o aniversário de 15 anos do meu sobrinho amado, Arthur. Nem preciso relembrar o que este menino me representa na vida: se bobear, chamo até de filho.
É assim que o vejo. Sempre carinhoso, preocupado, próximo. Parabéns, querido. Obrigada por todo o companheirismo nos últimos tempos. Sei o quanto choramos por conta de tudo. Mas agora passou. Posso te abraçar e festejar inteiríssima. E quero que saibas o quanto te amo... Vamos dançar muito lá na festa da Ana, tá? Comemorar a vida!!!!

No último domingo, a minha irmã Vera e seu Nico, junto com o meu afilhado Dudu, completaram 24 anos de um bela união . Quem ganhou um presente fui eu,secretamente...rs..
Fiz uma mesa de café da tarde, simples, gostosa, caseira, para comemorar. As fotos testemunham como foi comemorar num domingo que se fazia chuvoso até então, friorento, mas com muito calor na casa. Olhem a minha cama repleta!!!!! Tava tudo muito bom...

A cesta de café-da-manhã é da Ju e da Nanda, minhas lindas e amadas filhotas, competentíssimas, recebidas do grupo que organizou a Semana do Jornalismo da UFSC, pela extrema dedicação das duas. Nem preciso dizer de como foi bem recebida e degustada...

E assim, as fotos testemunham este novo tempo: eu e o Jorge, felizes, comemorando por aí; eu e meus filhos, irmãos, pais, sobrinhos, cunhados, etc, etc, de bem com o mundo.

6 meses pós auto transplante de medula óssea. Que venham mais dias felizes. Obrigada, Deus!
Hoje fui na dra Lygia para na consulta de rotina, mensal, pós auto transplante de medula óssea. O Jorge (meu grande companheiro), estava lá e presenciou a minha ansiedade, até ser chamada. Nossa, hoje eu estava com alguma coisa entalada, todo aquele cenário me fazia mal.

Realmente, ir numa clínica onde a gente se depara com várias pessoas doentes, com quadros similares aos nossos ou não, onde a dor fica escancarada, assistindo tudo meio atônita, sem saber o que vai ser dito pela médica, mesmo que eu já conheça quase todos os profissionais da clínica que me recebem com muito carinho e fazem tudo para que eu saia cada vez melhor, é duro. E eu estava tensa. Não sei, algo me sinalizava coisa ruim.

Rezei, chorei na recepção e logo ganhei um chá de camomila, caprichado, fui acalmada pelo meu gatão que deve ter ficado tenso também, e pelas meninas que são mais que anjos-da-guarda. O motivo? Talvez tenha sido a bendita balança: tenho que pesar sempre, e logo faço isto. Surpresa: 49,8 kg., ganhei apenas 0,30 kg. Merda, pensei.

O outro motivo que me deixou assim foi o bendito exame: meu hematócrito caiu para 33,4, mas o resto tá melhorando. Deixei para imprimir os exames somente ali, na clínica, mas já estavam prontos desde ontem no fim da tarde (fiz ontem pela manhã e nem doeu tanto, graças a Rosane do Laboratório Sta Luzia, aqui do Estreito). Nem queria olhar para eles, sempre fico assim desde que vieram tão alterados em maio deste ano. Mas olhei e vi o tal hematócrito baixo, de cara. Pronto. Bastou. Em seguida aquela balança que insiste em não passar dos 50...

Mas, Deus e todos os santos, de tanto que insisto, jogam seus mantos protetores e me guardam. Bastou entrar no consultório, tensa, assustada, para a dra Lygia me perguntar como eu me sentia. Disse que CONTINUO MARAVILHOSAMENTE BEM, mas que hoje, particularmente, estava muito tensa, ansiosa, nervosinha...

Por que? Contei e ela pegou o papel do laboratório e disse que aquilo era um SIMPLES PAPEL, que poderia até rasgá-lo, pois o que importa é olhar para mim e ver QUE ESTOU MUITO BEM, confirmado por minhas palavras e atitudes...

A ansiedade foi para o espaço e corri para um abraço nela. Acho que nos emocionamos juntas, assistidas pelo Jorge, tão querido e atento.

O resto da consulta foi pautado por tirar dúvidas: minha boca continua seca; meu peso representa minha constituição física e continua subindo que é o que importa, seria ruim se eu perdesse peso; minha pele melhorou, minhas unhas pretas estão quase normais, meus cabelos cresceram 1 cm, imagino; continuo fazendo atividades físicas quase regularmente, sem muito cansaço; não estou liberada para o trabalho ainda; não apresentei intercorrências; devo continuar tomando BactrinF agora associado a ácido fólico (contou que o Bactrin e o ácido fólico têm uma relação qualquer que nem prestei muita atenção); me deu um relatório médico para requerer alguns direitos que tenho como paciente oncológica, etc, etc...

Contei que viajo daqui a dois dias para Porto Alegre, ficando por lá quase duas semanas. Disse para eu aproveitar o novo tempo mas que não devo esquecer de mandar um postal contando do passeio...rs...

Resultado: como não quero ficar anêmica, passei correndo no Direto do Campo, comprei espinafre e mais outras verduras, frutas e legumes, e corri para casa pois precisava comemorar, depois de ligar para os meus 3 filhos contando da boa novidade. Prometi até a mim mesma que vou começar a tomar leite (arght!...) e realmente melhorar a alimentação pois neste último mês relaxei.

Como completarei os seis meses pós-transplante junto com a minha linda afilhada Ana Luísa que faz 6 anos no próximo dia 4, dia de São Francisco, quero agradecer aqui, publicamente, todas as graças com que sou abençoada. Vou continuar a viver intensamente, mesmo que com algumas limitações pequenas, mas intensamente!!!




1 Comment:

Sonmarry said...

Oi amada. Ao ler teu blog, me conscientizo que Deus realmente existe. Alguém duvida? Prova escancarada és tu. Sempre linda, iluminada, de bem com a vida, comemorando sempre. Cercada por família tão linda, ficas mais linda ainda. Parabéns pelo resultados dos exames. Boa viagem. Aproveite cada momento. Merecemos!
Beijinhos