27 de abril - fim da tarde, estou voltando prá casa!

Jorge: AMADA LETICIA: Tenha certeza nessa corrente de fé de todos nós os amigos reais, virtuais e também de sua amável familia. Estamos rezando muito e muito por você, por sua saúde, pelo seu retorno rápido para o nosso convívio. Tenha fé de que sua volta será celebrada com um grande festa de agradecimento ao nosso Deus. Você traz essa fé de luz, de alegria , de esperança, e essa sua paz de bontade que notamos em seu olhar. Estamos aqui de perto e de longe mentalizando uma poderosa e divina energia por sua cura, permitindo surgir um brilho novo no seu olhar e um sorriso nos seus lábios muito mais contagiante, trazendo essa sua alegria para todos. Beijos: Jorge, seu namorido!
Começo a escrever abaixo desta linda mensagem do meu gatão; não tem como não me emocionar! Ele fala com o coração, fica com os olhos marejados quando redige algo e resolve me ligar correndo para ler (ainda sob o impacto da criação) o que tão carinhosamente me dedicou.
Fico imaginando como acontece esta mágica. Uma pessoa que não foi habituada com as letras (imaginem, foi sempre supervisor de chão de fábrica), de repente se vê cercado de tanta inspiração e consegue efetivamente escrever o que lhe passa na alma. O presente é dobrado: me emociona muito. Faz tempo que ele vem mostrando sua veia poética, criativa, original e de muita fé. Só posso agradecer a Deus por tanto amor e cumplicidade.
Mesmo me sentindo num momento complicado: sem cabelo algum numa cabeça outrora sempre com muitos cabelos escovados no capricho, sem o capricho de unhas feitas semanalmente, do corpo cuidado com roupas escolhidas mesmo que simples, autônoma, dinâmica, independente. Agora aqui, num montinho de gente, deitada numa cama na maior parte do tempo. Pensando, pensando e pensando.
Não está sendo fácil mas estou de bom humor, podem acreditar. Otimista como sempre, piedosa mais que nunca, buscando recordar sempre os bons momentos vividos. Nem lembro, na maior parte do tempo, que estou de medula nova, pós transfundida (nossa, que palavrão...rs)!
O mal estar geral está ficando para trás, a diarréia está deixando meu corpo. Claro, tem muitos remédios que estão me sustentando. Mas a comida e a bebida estão começando a me dar prazer, novamente. Devagarinho... Sinto que meu peso não está mais indo para trás na balança; nem quero consultá-la..rs.. Claro, me assusto quando me olho no espelho, tem muita magreza estampada no meu corpo, a marca do cateter é a primeira coisa que vejo quando tento me identificar na imagem que anda tão diferente de mim! Mas vou me reconstituindo aos poucos. Nem mesmo desgostosa com a imagem atual deixo de me querer bem.
Aos poucos a vida vai se impondo. Os ossos tão aparentes vão sendo cobertos, os cabelos vão crescer (e juro, não estão me fazendo tanta falta quanto imaginava - a única coisa chata, é que sinto muito frio na carequinha), o sorriso nunca escapa do meu rosto. O enjôo não se afasta dos meus dias ainda, é tão chato fazer o maior esforço para comer e beber e de repente, ver tudo se esvaindo. Estes são momentos duros. Fico no meu cantinho e tudo vai passando...
Obrigada por tudos, amigos queridos. Sentir vcs ao longe, nesta torcida, só me eleva. Me traz correndo a esperança por dias melhores, novamente coloridos e soltos ao vento e natureza.
Estou voltando prá casa, apõs onze dias aqui no ap da minha irmã Vera. Nem sei como agradecer. A acolhida foi maior que minha imaginação, o carinho e preocupação com tudo o que eu pedia e nem pedia foram sempre pontuais; o amor falou sempre por eles. Agora deixo este aconchego para buscar o meu. Ficarei em meio aos meus filhos, pais e algumas pessoas prõximas, que irão lá.
Infelizmente, continuo com restrições em relação às visitas. Tenho que usar mãscara cada vez que me aproximar de quem quer que seja, os cuidados continuam redobrados. Mas também isto vai passar...
E assim, a vida segue. E eu nela, felizmente. Tive perto de deixá-la, senti. Mas fui presenteada por Deus, pela vida. E agora preciso vivê-la com muito mais vigor e serenidade. Já tenho alguns planos para executar logo que estiver liberada. Contarei com vcs que souberam me jogar pro algo sempre que eu me sentia instável, desanimada e nas sombras...
Beijos prã todos vcs. Preciso voltar prã cama... A fraqueza ainda me acompanha e qualquer gesto que exija esforço físico (acreditem, escrever na posição sentada, exige e muito - claro, não dã nem prã imaginar...rs), cansa...
Meninas, adorei ver vcs curtindo e celebrando a vida. Ai que saudade! Sônia, senti meu lugarzinho reservado e , podem acreditar, comemorei com vcs cinco....Amei as fotos e o encontro! Faremos muitos, me esperem...rs..
Beijos

1 Comment:

sonmarry (Floripa - Brasil) said...

Minha doce Lê.

Não imaginas o quanto é gratificante, para nós, seus amigos, saber notícias tuas e ainda escrita por ti.
Sabemos que fazes um esforço enorme. Catarina nos contou como estás fraquinha no teu exterior, no teu corpo (estás querendo ser uma barbie é neguinha?) porém, na tua mente e no teu coração, sabemos que és só fortaleza e otimismo. Já fazendo planos..... hum.... isto é muiiiiito bom.

Que o regresso ao teu lar, junto com filhos, pais, namorido e outros mais chegados, acelere teu rápido restabelecimento. (Um cafuné vale por 2 doses de qualquer remédio - um beijo e um abraço do amado então.... é dose dupla).

Amada, como sei das restrições de visita e por gostar demais de você - sabes que moras no meu coração e - por não querer que nada de ruim te aconteça , evitarei te visitar para não levar nenhum germe ou micróbio ao teu organismo.

Por favor, faça este favor para nós (seus amigos), restrinja as visitas e te cuida pelo amor de Deus (seja egoísta - é para seu próprio bem).

Queremos te ver sim, mas quando estiveres bem fortalecida.
As luluzinhas esperam por ti. Viu? Teu lugarzinho ficou reservado.
Beijos amada e fica com Deus.