Começo da história

Terceira internação
Quem diria, estou no terceiro ciclo de internação! Estou internada no Hospital Celso Ramos, na unidade de TMO - Transplante de Medula Óssea, do CEPON (Centro de Pesquisas Oncológicas), em Florianópolis-SC, desde o dia 13/12/07. Vim preparada para ficar mais um mês, passando aqui as festas de fim-de ano...

Deixa eu contar um pouco de minha história, acredito que possa ajudar muita gente. É difícil entender o rumo da doença, no meu caso, leucemia mielóide aguda. Em dezembro de 2006, fiz o check-up anual, com a ginecologista. Nesta parte, estava tudo bem. Mas como já passei dos 50 anos, ela me encaminhou para um cardiologista que me solicitou uma série de exames. No hemograma, apareceu uma baixa significativa dos leucócitos e neutrófilos. Fui encaminhada então para uma hematologista. Já estávamos em janeiro de 2007. Não perdi tempo em nenhum minuto, tudo eu procurava com muita rapidez. A hematologista me solicitou mais uma série longa de mais exames. Quando os apresentei, ela me encaminhou para uma reumatologista. Fui rapidamente, e em fevereiro, fui informada de que não havia problema nenhum nesta área e de que eu deveria voltar para a hematologista.

Voltei para a Dra. Lígia B. Peters, que elegi como a minha hematologista. Só ouvia elogios sobre sua conduta. E fiquei impressionada com sua competência. Entreguei a ela, sem hesitação, a minha vida... Ela foi claríssima: afirmou que eu não tinha ainda alguma doença, mas ela iria aparecer. Imagina. Eu até me atrevi a contestá-la, dizendo que não apareceria nada... Mas ela era categórica: vai aparecer ou eu não me chamo Lígia. Nem me atrevi a retrucar mais nada. Saí triste e comecei a rezar muito, pedindo a Deus que não tivesse nada complicado e que ela estivesse enganada. Afinal, eu me sentia muito bem, sem qualquer tipo de dor ou alteração no corpo.

E o tempo foi passando, procurei um reumatologista famoso em Porto Alegre, outro hematologista de peso por lá e todos me diziam a mesma coisa: estás em excelentes mãos, segue firme nesta procura. Não tens nada por enquanto.

Até que consegui uma vaga no melhor reumatologista de Florianópolis que me solicitou uma lista longa de exames. Um deles revelou um FAN reagente u uma alteração no fígado. Me confirmou que na área dele eu estava livre mas fez uma declaração para a Dra. Lígia, solicitando biópsia e mielograma da medula. Já estávamos em julho.

Triste
mês de agosto: os exames foram marcados para o dia 14. Primeiro exame dolorido, de onde tiram sangue diretamente da medula. Parece um aspirador... É suportável, porém desagradável. Passei bem pelo exame e fui para a casa apreensiva. Na mesma semana, ela pediu para que eu repetisse o exame no dia 21/8. Eu estava numa confeitaria bem gostosa, com o Jorge meu lindo, mais uma amiga nossa a Catarina. Ela só me disse assim: “onde estás agora, Letícia? e eu respondi onde estava. Ela foi categórica: volta para a casa logo e te protege do frio, sereno, fica descansando em casa até o dia 21/8 quando precisarei repetir o exame". Imagina como fiquei! O choro correu solto, baixinho. A fatia de torta de chocolate que eu havia escolhido com tanto carinho, ficou por lá mesmo. O Jorge me abraçou forte e disse para eu não me preocupar, que ele estaria comigo em qualquer momento e situação. A Catarina foi super solidária... Todos os dois me diziam coisas que eu nem lembro, mas me deram muita esperança!

Voltei no dia 21/8 e repeti o exame, agora com mais medo e sabendo que receberia um diagnóstico nada favorável, mas já me entreguei a Deus, dizendo a Ele que enfrentaria tudo do melhor jeito que eu conseguisse. Faltavam dois dias para eu completar 52 anos. E não deu outra: no dia do meu aniversário, dm 23/8, a Dra. Ligia me liga às oito da manhã pedindo para que aparecesse no seu consultório com um acompanhante, pois precisava falar comigo.

Imagina o meu susto. Ao meio-dia eu estava lá, eu, a Jú e o Jorge. A Jú entrou comigo. A médica com toda a sua habilidade foi me explicando sobre todos os passos realizados anteriormente, olhando para cada exame, me dando algumas aulas, até que enfim disse claramente: "Pois é, minha flor, o que tu tens até me surpreende pois nem mesmo eu esperava: leucemia milóide aguda"... Imediatamente, caíram lágrimas dos nossos olhos. O meu mundo ficou balançado, abriu-se um buraco grande sob meus pés. A Jú apertou com força a minha mão, assim como a médica. Ficamos nos olhando... Eu nem sei com que forças. Perguntei a ela como trataria isto e quando começaríamos. Ela me parabenizou pela coragem e disse que eu deveria começar logo, pois quanto antes, melhor o resultado. Sugeriu até que eu encaminhasse os exames para os médicos de Porto Alegre e poderia até fazer o tratamento lá. Perguntei qual seria a diferença de tratamento, se lá por ser um centro maior eu seria tratada de outra maneira, mas ela garantiu que o protocolo seguido é igual em qualquer lugar. Então eu confirmei que a minha médica era ela e que começaria no outro dia, se ela quisesse. Agradeceu a confiança e disse que eu deveria internar no próximo domingo no Hospital de Caridade mas alertando para a dificuldade de vagas.

Só consegui a vaga no dia 28/8, no melhor apartamento do hospital porque tive a intercessão de um grande anjo da guarda, a D. Ony a quem devo muitos agradecimentos, extensivos à sua família. Ela foi maravilhosa. Este primeiro ciclo iniciou no dia 28/8 e se encerrou no dia 26/9. O segundo ciclo, também neste mesmo hospital, ocorreu de 15/10 a 22/10 no hospital maternidade Carlos Correa, e encerrando de 22/10 a 04/11 no Hospital de Caridade.

Contarei sobre a primeira e segunda internação em outra hora.

Terceira internação:

13/12 - Primeiro dia: com dificuldade de vagas, internei aqui no TMO do Celso Ramos, em 13/12. Logo ao entrar, pelas três da tarde, fui surpreendida com uma linda festa natalina organizada pela equipe do setor. Teve papai noel doando presentes, comes e bebes, show com uma cantora de voz suave e linda... Chorei o tempo todo, agarrada a minha Nandinha que também estava assustada. Aqui ficam até onze pessoas (total dos leitos) e tinham alguns muito comprometidos mas outros felizes, pendurados em seus "caninhos" mas sem cara de sofrimento.

Fui recebida com muita dignidade e amor. Logo me disseram que eu deveria me despojar de tudo o que trouxe e deixar apenas roupas íntimas e algumas peças de pijama de cima, para esquentar um pouco, porque o pijama era emprestado pela unidade. Não precisariam trazer nada, aqui eles fornecem tudo o que é necessário. Fiquei muito feliz e segura pelas informações. Sou tratada como uma rainha. Carinho, medicação, preocupação de toda a equipe, é sentida a todo instante... Fui entrevista por vários profissionais e a médica de plantão, Dra. Juliana me disse que começaríamos todo o tratamento no próximo dia, com um exame de mielograma.

14/12 - Segundo dia: Comecei o dia com o exame. Doeu um pouco, mas tive o carinho da Cleusa, uma enfermeira muito querida que correu para segurar minhas mãos. Foi um alívio, eu temia estes momentos de sofrimento sem alguma companhia do lado, como sempre tive. Me alimentei bem e a partir das três da tarde, começaram as quimioterapias, pesadas. Não tive reações, graças a Deus. A única diferença é que comecei a hibernar. Nunca dormi tanto na vida...rs..E logo o apetite desapareceu. Tive a visita do Arthur e da Ju, bem animadinhos. Ficaram assustados quando viram duas bombas de quimioterapia, mas eu os tranqüilizei dizendo que agora a quimio era mais forte para acabar logo com qualquer coisa ruim.

15/12 - Terceiro dia: Passei a maior parte do dia dormindo, nem senti o dia passar. Não comi absolutamente nada. Bebia água de coco e água, vez em quando. De cara engordei três quilos de tanto líquido. A cada alteração nos meus exames, logo vinha alguma intervenção médica. Estou me sentindo sonolenta e nem consigo sair direito da cama, até para ir ao banheiro onde vou várias vezes ao dia. Tive a visita da Vera e da Jú. Maravilhosas. Mas fiquei dormindo quase o tempo todo...

16/12 - Quarto dia: Passei novamente quase todo o dia dormindo. Assim o dia passa mais rapidamente... Perdi o apetite completamente. Não entra nada... Continuo inchada e agora começa uma alergia que deixa o meu corpo todo vermelho. Ganho mais medicação. Recebo a Vera e a Jú de visitas, mas de novo durmo durante este momento... Mas começo a enjoar, fico enjoada e vomito por duas vezes. Mas passa...

17/12 - Quinto dia: Nem preciso dizer que durmo de novo quase o tempo todo. Acordei mesmo, um pouco antes do horário de visitas, graças a Deus. Veio a Nanda, linda e bem preocupada. Me deixa informada sobre tudo. Consigo tomar um suplemento alimentar, meio a contra-gosto, mas engulo tudo. É a minha primeira alimentação depois de alguns dias... A nutricionista vem e estabelece comigo uma série de possíveis comidas que eu gosto para não ficar totalmente em jejum: peço nozes, castanhas de caju, batata pringles, coisas salgadas. Não posso ver doce na minha frente. A Nanda providencia logo o que pedi, é uma anjinha da guarda. O Rodrigo me liga e diz que desistiu de trabalhar naquele escritório, disse que estava num lugar errado e que não tinha nada a ver com ele. Vai estudar firme para concursos. Lamentei mas acho que cada um tem que procurar seu caminho e fazer o que gosta. Tomara que passe logo... Agora vou dormir porque o sono bateu de novo. Esqueci de dizer que vou no banheiro a todo momento, fazer xixi. Nossa, como se faz xixi com quimio...rs..

1 Comment:

Simplesmente Feliz said...

Querida amiga Leticia
São 07.16 e acabo de entrar no orkut e ver que a linda Ju me enviou o site de teu blog o qual acabei de ler atentamente, sendo assim poderei acompanhar mais de perto o desenrolar de teu tratamento, já que eu como todas as tuas amigas estamos sempre mto ansiosas em busca de noticias.
Querida, realmente não sei se tenho palavras para dizer-lhe, mas sei, que tenho que dizer-lhe que sempre te admirei como ser humano, mãe, amiga, filha, és guerreira amiga, um exemplo a ser seguido.
Lembro sempre de vc, lembro sempre da Leticia sorridente, quantos momentos juntas passamos, e agora lendo o teu sofrimento, a gente fica sem entender o pque de mtas coisas da vida.
Mas o importante é que tens sempre pessoas especiais ao teu lado, lutando pela tua recuperação, os profissionais e nós que somos tuas amigas jto com teus familiares, diariamente enviamos energias positivas e nossas orações para que Deus continue lhe dando força e que vc com certeza, irá vencer essa dura batalha.
És vencedora querida amiga e com certeza em Janeiro, ontem falando com Isabel, iremos comemorar jtos com vc e sua familia..a entrada do ano de 2008, que com certeza será uma etapa nova em sua vida..e que TERÁS VENCIDO MAIS ESSA BATALHA.
Te amo querida amiga e vc sabe disso..que Deus nos proteja e nos de forças, a cada uma de nós temos os nossos percalços em nossas vidas, mas temos garra para encararmos tudo que a vida nos apresenta
Beijos amiga e fica com DEUS!!
Da eterna amiga
REGINA