20 de dezembro - oitavo dia!

Hoje foi um dia tranqüilo, graças a Deus. Fui acordada as seis da manhá para coleta de sangue, teve que ser numa veia da máo esquerda porque o porth já foi retirado. Doeu, mas aguentei firme. Isto náo é nada... O resto do dia foi bom, comi com mais prazer, fiz o firme propósito de comer mesmo sem vontade. Meu corpo está bem, só as pernas começam a ficar moles por conta da imunidade e custo mais a andar. Vou ficar mais paradinha porque meu hematócrito já chegou a 26 mas as plaquetas estáo em 96 000. Estou bem, gente! Hoje recebi a visita do meu gatinho Rodrigo que me deixou muito feliz, apenas com a preocupaçao de que veio de moto. Infelizmente. Tentei dissuadi-lo mas náo consigo. Entrego nas máos de Deus porque também entreguei minha vida e dos que amo, nas máos Dele. Conversamos muito, ele me contou os motivos de sua nova motivaçao para o trabalho pois decidiu que vai estudar para concursos públicos na área que mais gosta. Gostei de sua decisáo. Juro que estava preocupada. Depois, na última meia hora da visita, veio a Vera trazendo boas notícias e levando a sacolinha de roupas usadas. Ela tem sido especial nestas internaçoes. Nem imagina o tanto de bem que faz pela gente. Trouxe junto milho para ser cozido aqui; fui jogar dominó com uma turminha que está aqui (imagina eu jogando dominó...rs) e pedi para que a cozinheira preparasse o milho. Foi uma festa... Comi duas metades separadas (a segunda foi de gula) e quem comeu disse que se imaginava no sítio, outro na praia, etc. Foi realmente um momento simples mas de muita emoçao... Temos que repetir estes pequenos gestos que trazem tanta alegria num local de dor.
Acabei de receber a visita da dra Larissa que faz parte da equipe do dr. Pasquini, de Curitiba. Ela é maravilhosa, deu uma aula sobre o estado de saúde da d. Terezinha que continua com infecçao aqui ao meu lado e depois me examinou, confirmando que estou mesmo num momento especial e bom... Vou ver a novela agora porque preciso descansar. Aqui náo é hotel, nem spa, é hospital...rs...Rezem, rezem, rezem. Principalmente pela vizinha de quarto! Por mim, estou me sentindo iluminada, feliz e sem dor... Beijos, gente. Que saudades da rua...

0 Comments: